Como chegar à colaboração empresarial na supply chain?

Colaboração empresarial na supply chain: cumprimento entre dois colaboradores num armazém

A supply chain moderna é pautada pela tecnologia e pela crescente necessidade de colaboração entre empresas. Tem sido assim nos últimos anos e a tendência em 2021 é para que a realidade da colaboração empresarial na supply chain seja reforçada. 

Todas as empresas intervenientes da cadeia evoluem, existem milhões de dados a serem gerados ao segundo e, no fim da linha, o consumidor  não espera nada menos que a excelência. 

Como acompanhar então esta realidade? Com todos os intervenientes da supply chain atuando de forma colaborativa e tornando-a cada vez mais robusta e complexa.

Colaboração empresarial vertical ou horizontal ao longo da supply chain

O princípio é simples: empresas autónomas empenhadas, em conjunto, na melhoria de processos na cadeia de abastecimento. No entanto, esta colaboração pode concretizar-se em dois eixos:

  • Colaboração vertical: aqui encontram-se casos de duas ou mais empresas, que atuam em diferentes fases da cadeia e que colaboram de forma a aumentar a performance de ambas. Tomando como exemplo uma empresa compradora que estabelece uma relação de médio/longo prazo com um ou mais fornecedores dos seus produtos. Ao instalar sistemas de RFID para facilitar a monitorização logística de entradas e saídas de produtos, estará também a agilizar o processo junto dos parceiros.
  • Colaboração horizontal: neste caso, a colaboração permite que duas ou mais empresas da mesma fase da cadeia partilhem as flutuações da procura e otimizem custos. Por exemplo: vários fabricantes do mesmo nível partilham as infraestruturas de entrega das suas matérias-primas.

Antes de estabelecerem qualquer parceria, as empresas devem conhecer o mercado e perceber de que forma podem beneficiar do valor acrescentado da colaboração empresarial na supply chain.

Objetivos claros e partilhados entre empresas 

Todas as empresas envolvidas numa colaboração com entidades parceiras na cadeia de abastecimento devem beneficiar antes de tudo de um ambiente de confiança e entreajuda. No entanto, é ainda esperado que a colaboração empresarial na supply chain responda a outros objetivos, entre eles:

  • Comunicação privilegiada entre parceiros, nomeadamente sobre os desafios do setor em que se inserem; 
  • Agregação e partilha de dados em maior escala, que permitam uma leitura mais abrangente do estado do negócio; 
  • Partilha de informações e recursos, tendo em vista a resolução de problemas imediatos e otimização contínua de operações;
  • Desenvolvimento e transformação de processos, na procura de melhores padrões de qualidade, sustentabilidade e valorização de recursos humanos e materiais.

Esta colaboração empresarial na supply chain pressupõe iniciativas conjuntas que vão além do decorrer normal do dia-a-dia dos negócios, com o objetivo de proporcionar melhorias significativas a longo prazo.

Novas realidades no mercado e a mudança de paradigma no processo logístico 

Com os preços cada vez mais competitivos, o desafio da gestão de custos fica muitas vezes no fim da linha, nos fornecedores. Já do lado da oferta, os fabricantes têm cada vez menos capacidade de absorver custos adicionais, dada a volatilidade de preços que esmaga as margens, a par com a necessidade de investimento em marketing, para o destaque da oferta face à concorrência.

As empresas estão a dar cada vez mais valor à relação de colaboração com os fornecedores, de acordo com 65% dos profissionais de procurement citados em The Future of Procurement, Making Collaboration Pay Off, da Oxford Economics.

Os negócios estão a acontecer a uma velocidade sem precedentes e espera-se que as empresas sejam capazes de responder às necessidades do mercado com agilidade e inovação. Nesse sentido, os profissionais de procurement trabalham com fornecedores não apenas pela sua definição tradicional, mas como parceiros estratégicos na criação de novas soluções, competitivas e atrativas.

O fator humano da colaboração empresarial na supply chain

Esta visão integrada e complementar só é possível com recursos humanos sensibilizados para a mesma. Já em 2015 o Instituto Global de Supply Chain mencionava que “a gestão de talentos na cadeia de abastecimento é sem dúvida o mais difícil de todos os requisitos de negócios”, ao mesmo tempo que afirmava que a retenção de gestores e parceiros é uma das maiores recompensas a longo prazo dos esforços de colaboração nos processos.

Da produção à distribuição,existem inúmeros benefícios para as partes envolvidas na colaboração empresarial na supply chain. Mais do que um mero requisito, esta complementaridade é cada vez mais uma exigência no mercado.

Conheça mais sobre os benefícios da colaboração entre empresas, ao tornar-se associado da APOL e partilhando conhecimentos e experiências com empresas do setor. Junte-se a nós!

Referências bibliográficas:

Global Supply Chain Institute, Supply chain talent our most important resource, 2015. Acedido em 26 de maio de 2021.
Oxford Economics Reports, The Future of Procurement, 2021. Acedido em 26 de maio de 2021.
QIMA One, 4 Powerful Benefits of Supply Chain Collaboration, 2021. Acedido em 4 de maio de 2021.
Supply Chain Game Changer, 2021, Supply Chain Collaboration –  The New Way to Drive Value! Acedido a 28 de maio de 2021. 
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Contacte-nos

Ligue-nos ou preencha o seguinte formulário para que possamos entrar em contato consigo. Procuraremos para responder a todas as perguntas dentro de 24 horas em dias úteis.